sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Av. Marquês de Paraná - 280,5 VIDAS/hora

Por Sérgio Franco



O Mobilidade Niterói e o programa Niterói de Bicicleta realizaram no dia 27 de Julho de 2016 contagem na Av. Marquês de Paraná na ligação Zona Sul Centro.

Relatório AQUI.

Foram contabilizados 280,5 ciclos por hora! Um aumento de 70% quando comparamos com a primeira contagem realizada em Janeiro de 2015. Em Agosto de 2015 também foi realizada uma contagem e nesta tinham sido contabilizados 249 ciclos por hora.



Outra boa surpresa foi no aumento do número de mulheres, que na primeira contagem tinham a presença no trecho de 12% em relação aos homens e agora chegaram aos 15%.

15%
Mas os pais se fizeram presentes, infelizmente não contabilizamos mas as fotos não negam a presença maciça destes. Eram crianças sendo levados para colégios e creches. 


Infelizmente, mesmo com todo este crescimento, os ciclistas ainda dividem a Av. Marquês de Paraná com carros, caminhões, ônibus que podem trefegar em uma velocidade de até 60 km/h. Esta é a velocidade máxima regulamentada para o trecho, esta é a velocidade com que convivem as 280,5 VIDAS/hora que ali transitam.

Exprimidos

Houve sim, um momento de esperança, quando em Setembro de 2015 implementaram a ciclofaixa com cones (matéria AQUI), Infelizmente o que vimos de lá para cá foi a perda do espaço e a volta da insegurança, isto ainda em Setembro (matéria AQUI).  Tudo devido a alegação da NitTrans de que a ciclofaixa estava prejudicando o fluxo de veículos. O que contestamos (artigo AQUI).

O Mobilidade Niterói administra uma página (acesse AQUI) que recebe registros feitos pelos ciclistas dos acidentes sofridos pelos mesmos, e como podemos ver no mapa (AQUI), grande parte dos acidentes e incidentes ocorrem justamente neste via.

Sem espaço
O fato é que se hoje temos 280,5 ciclos por hora transitando por esta via, poderíamos ter muito mais se fossem oferecidas condições realmente seguras e adequadas para o trânsito de ciclos. Os ciclistas, alem da velocidade acima citada, enfrentam o enorme fluxo de veículos e, quando usam a calçada, por medo ou por imposição da NitTrans, tem que conviver com calçadas estreitas, irregulares e com grande quantidade de pedestres, ou seja, são prejudicados pedestres e ciclistas em prol de uma suposta melhoria no fluxo de veículos.

Melhorar o trânsito é estimular o uso do transporte coletivo e ativos para que se tenha menos carros nas ruas e com isto melhorando até a "fluidez" no trânsito para estes.


facebook/mobilidadeniteroi

5 KM
QUE TAL TENTAR IR DE BICICLETA?

Um comentário:

  1. ótima reportagem
    precisamos da ciclofaixa urgente na Marques de Paraná.

    ResponderExcluir